Real Brides: O Casamento à distância da Patrícia e do Bruno

por Noiva em Quarentena
116 visualizações
Patricia e Bruno

Hoje fiz uma pausa na minha organização de casamento para vos contar a história da Patricia e do Bruno e do seu casamento à distância, neste Real Brides .

Conheci a Patricia há uns meses por via da página de Instagram e a sua história despertou-me bastante curiosidade. Na altura recordo-me que pensei: “Esta noiva é corajosa! Se eu que estou perto dos meus fornecedores estou numa ansiedade enorme, imagino ela com um casamento à distância! “. E foi este pensamento que me motivou a pedir-lhe para contar a sua história neste blog.

Por isso, façam scroll e descubram comigo os pormenores de organização deste casamento à distância.

A nossa história por si só já é bastante diferente, por isso, não nos espanta que todos os preparativos também o sejam. Conhecemo-nos eu ainda estava no segundo ano da licenciatura, e a minha mãe achou que estava na altura de mudar de operadora de televisão/internet e afins. O Bruno fazia instalações para uma conhecida operadora, e por obra do destino calhou naquele dia fazer a da casa dos meus pais. Eu estava em casa e quando ele tocou à porta, tive aquela sensação “UAU”, mas depois eu fui para o meu quarto e ele lá fez o trabalho dele na sala. Acontece que, eles são obrigados a deixar um contacto em caso de avaria, e o meu telefone avariou.

Contactei-o novamente, e ele foi mais uma vez lá a casa, e uma coisa levou à outra e hoje estamos juntos e vamos casar em Outubro.

SOBRE EMIGRAR

Desde pequena, que sempre quis viver no estrangeiro.  Era para ter feito o intercâmbio nos EUA no 11º ano e posteriormente mestrado em Londres, mas nada disso aconteceu. Formei-me em Direito, em Lisboa, e o Bruno foi progredindo na área das telecomunicações. Eu era jurista, e trabalhava num banco em Portugal, o Bruno como chefe de equipa, e portanto tínhamos uma boa vida. Mas o bichinho de querer viver fora, manifestava-se cada vez mais.

Certo dia, o Bruno recebe uma proposta muito boa para a Irlanda e curiosamente também eu. Decidimos então vir! E tem sido das melhores experiências, embora muito limitada por conta do COVID.

O NOSSO CASAMENTO

Vamos casar em Outubro, e se já é complicado organizar um casamento com disponibilidade para ir a reuniões e afins, imaginem à distância.

Para começar, não conheço a quinta onde vou casar. Embora o Nuno, tenha sido um querido e me tenha mostrado os espaços por videochamada , a escolha acabou por ser do Bruno que já tinha estado naquela quinta como convidado. E, portanto era a única que algum de nós conhecia, dentro da nossa zona. Por acaso, descobri que o local onde vamos casar é do mesmo grupo da quinta onde a Teresa vai casar e baseei-me na opinião dela para a escolha de sabores do bolo, porque como não podemos ir ao Open Day, foram os meus sogros que os provaram e deram a sua opinião. Por isso,  escolhemos o nosso bolo de casamento com base no paladar dos pais do Bruno e da Teresa.

Depois, começamos a ver fornecedores para animação, maquilhagem, coro e afins. Eu sempre tive presente que queria ajudar negócios pequenos, e por isso, alguns fornecedores eu conheço porque são meus amigos. No entanto, todos os outros, nomeadamente  a animação, o coro , a maquilhadora, a cabeleireira, o transporte dos noivos, foi tudo tratado à distância , ou seja, quase tudo por zoom ou por e-mail. Até o CPM estamos a fazer on-line, parece que a nossa vida se resume ao ZOOM.

E O VESTIDO?

Pois é, todas as pessoas perguntam pelo vestido, ahahah.

Então, eu tinha marcações para março para lojas de noivas, no entanto, a Irlanda está em confinamento desde Dezembro e por isso não consegui ir a nenhuma das lojas.

Ora, com as restrições de viagem, só vou a Portugal em Setembro, e por isso pensei em contratar uma modista para fazer o vestido.

O primeiro passo foi fazer a pesquisa de modistas em Lisboa, surgiu então a sugestão do atelier Rita Patrocínio Studio.

Inicialmente falei com a Rita por instagram para saber preços, disponibilidade e afins, e posteriormente acertamos detalhes por e-mail.

Claro está que , mais uma vez, a primeira reunião em que decidimos o vestido, os moldes e tudo o que seja inerente foi por …wait for it… ZOOM!

Irei ter três provas, uma em Agosto para tirar medidas, em que vai ser literalmente chegar domingo à noite a Lisboa, ir à prova segunda de manha e apanhar o avião de regresso segunda à tarde.

Depois, em Setembro tenho outra prova, porque tirei uma semana de férias, e terei a ultima prova na semana antes do casamento.

Ou seja, só vou ver o resultado do vestido um mês antes do casamento… Pânico!

Mas enfim, com tempo e ajuda ( os nossos amigos e familiares têm sido incríveis ) tudo se faz!

Patrícia

vê também estes posts

Deixa um comentário

* Ao utilizares este formulário, aceitas o envio e armazenagem dos teus dados por este site.