Diário da Noiva: Um Mês de Sorriso no Rosto

por Noiva em Quarentena
85 visualizações
Sessão de Fotos Noiva em Quarentena

Mais um mês que se passou e mais um Diário da Noiva a chegar.

O Mês de Abril foi cheio de emoções. Comecei a reorganizar o meu casamento com um sentimento diferente ao que tinha experienciado o ano passado – Esperança. E foi com essa esperança que Abril passou e que me deu tantas coisas boas para recordar.

Mas deixemos de conversa fiada e passamos ao que interessa:

Querido Diário…

PARTE 1 – DEIXEM-ME FALAR-VOS DESTE ÚLTIMO MÊS…

Costumo dizer muitas vezes que só agora me estou a sentir uma completa noiva, à beira deste dia tão esperado. O ano passado não pude dizer que estava a 2 meses do casamento porque nessa altura já andávamos preocupadas se seria possível realizar e, no meu caso, acho que já tinha consciência que não iria acontecer.

Então este ano está a ser diferente. Agora posso ser uma noiva a um mês do casamento com toda a ansiedade que é suposto ter nesta altura (e a meu ver não é uma ansiedade má – é aquele êxtase de saber que falta tão pouco).

Mas agora que faltam…semanas (*inspira, expira*)…posso falar-vos disso: Há um mês andava bastante nervosa a dizer que tinha que organizar o meu casamento nesta fase com dois passos à frente e um atrás. Mas sabem, faltando apenas um mês estou a atirar-me de cabeça e tenho tanta esperança que o meu casamento aconteça que já nem sequer penso na pandemia ou na possibilidade do COVID arruinar novamente os meus planos. Não vos consigo explicar ao certo, mas estou a adorar tanto esta reorganização que os pensamentos negativos tornaram-se secundários, o que é ótimo. Significa que estou a viver esta fase ao máximo, otimista e só a dar importância ao que realmente interessa – a preparar o meu dia tal como o imaginei (mas adaptado).

PARTE 2 – A MINHA MAIOR DOR DE CABEÇA

Pois se pensam que eu vou responder “COVID” quando me perguntam qual está a ser a maior dor de cabeça na organização do casamento estão redondamente enganados. O que me está a deixar noites sem dormir é mesmo a lista de convidados – e vou falar disso neste Diário da Noiva.

Em primeiro lugar, e se vos posso dar um conselho, todos sabemos que não podemos agradar a gregos e troianos. E por isso mesmo, é perfeitamente normal que haja um ou outro convidado (ou mesmo que não o chegou a ser) a estar um quanto desiludido com a vossa organização. Mas se houve algo que comecei a aprender nesta fase foi a relativizar. Vai haver sempre alguém a achar que devias ter gerido as coisas de maneira diferente sem perceber o que está por trás de todo o casamento. O meu maior conselho é não ligares a estas opiniões alheias. É certo que vocês enquanto noivos, pensem nos vossos convidados a cada decisão. Se estiveres de consciência tranquilo das tuas decisões, não tens que te preocupar. Lembra-te que só tu e o teu noivo (e quanto muito os vossos pais) é que tem uma palavra nas vossas decisões.

À parte das opiniões dos convidados, o plano de mesas também tem sido um desafio. À data que estamos são permitidas 6 pessoas por mesa na restauração, o que indica que assim o é nos casamentos. E por isso, é assim que estamos a sentar os nossos convidados. No entanto sabemos que em Junho pode não ser assim. Acho que é uma diferença de apenas duas pessoas, mas é muito mais fácil organizar os lugares com 8 pessoas que com 6. Então o que temos para já é um rascunho, mas a rezar para que, com a mudança do mês, o governo indique que a lotação por mesa aumente.

PARTE 3 – VOLTÁMOS A PROVAR OS BOLOS!

Como eu estava ansiosa para fazer a prova de bolos novamente. Acho que desde o momento em que recebi email a confirmar que teríamos que realizar uma nova prova que contava os dias até fazê-la de novo. Não se nota nada que quem me dá um docinho, faz-me feliz não é ?

Então vou-vos contar neste Diário da Noiva como foi: Em época de pandemia, a minha prova de bolos foi feita em casa. Fui à quinta , que para os mais distraídos, eu vou-me casar na Quinta do Coração mas neste caso fui levantar os bolos à “gémea” Marquês da Serra, e posso dizer-vos que a organização desta adaptada prova estava fantástica. Chovia a potes e nem tive que sair do carro para levantar a caixa.

Após isso voltei para casa com uma pequena porção de cada novo sabor, a contar cada minutinho para os provar.

QUE SABORES PROVÁMOS?

Portanto, como viram nos meus stories, eram 8 novos sabores de bolo e sirvo-me deste Diário da Noiva para falar um bocadinho sobre eles:

1) Red Velvet e Cream Cheese:

Este era o que tínhamos escolhido inicialmente e aquele que eu dizia que era perfeito e que não iria mudar certamente.

2) Banana com Doce de Leite:

A minha perdição. Já tinha referido que se estivéssemos a falar de um bolo de aniversário, era a minha escolha certa. Uma das minhas tias que faleceu há uns anos fazia um bolo de banana espetacular e provar este sabor foi regressar a memórias. No entanto, não o escolheria para bolo de casamento porque sei que não posso pensar só em mim.

3) Bolo de Caramelo com Creme Fraîche de Speculous:

Não detestei este sabor, mas não o escolheria para o meu casamento. Fazia lembrar o típico bolo do chá das cinco. É um sabor que não desilude, mas não achei que se enquadrava no que queriamos.

4) Bolo de Laranja com Cream Cheese de Nutella:

Assim que li “Nutella” os meus olhos brilharam. Era um bolo ótimo, muito saboroso. Mas bolos de laranja não são bem a minha eleição (mesmo com a Nutella ao barulho).

5) Bolo de Maracujá com recheio de Caramelo Salgado e Gel de Maracujá:

Assim que li a descrição fiquei super curiosa porque de todos era o mais diferente. No entanto, foi dos que menos gostei e para ser sincera achei-o um quanto confuso. Talvez também por o maracujá não ser dos meus sabores preferidos.

6) Red Velvet com ganache de Frutos Vermelhos e coulis de Espumante Rosé:

Bom, eu na verdade quando vi dois Red Velvet pensei mesmo que iria preferir o outro. Mas quando provei este fiquei super indecisa porque tem a dose certa de açucar, o que era ótimo para quem gosta de doces mas não em exagero. É um sabor elegante – foi o que pensei.

7) Pistachio com Baunilha e coulis de Morango:

O ano passado quando provei o bolo de Pistachio estava super entusiasmada e a apostar demasiado nele. E o mais engraçado é que tive um dejá vu: O meu noivo a dizer que tinha gostado muito e eu a referir que achava doce demais. Este ano a discussão foi a mesma e por isso, deixamos de lado.

8) Saché de Chocolate com recheio de Praliné:

Em 2020 eu disse: “Falta aqui um bolo de chocolate” e as minhas preces foram ouvidas. Eu já tinha provado o bolo Saché em Viena (o Sachertorte) e tinha amado. Quando eu provei esta reinvenção, fiquei estupefacta. Era mesmo isto que queria, este contraste do bolo fofinho com o crocante do praliné. E por isso, acho que não preciso dizer-vos, neste Diário da Noiva, qual escolhi.

PARTE 4 – A TÃO ESPERADA SESSÃO DE FOTOS

Acho que o dia em que fiz a sessão de fotos marcou a minha mudança de mentalidade relativamente a casar daqui a tão pouco tempo. A partir deste dia fiquei mais otimista e ansiosa com a chegada do meu casamento.

Marcar a sessão de fotos implicou uma visita diária a sites de meteorologia, já que na semana em que o fizemos previam chuva todos os dias. Mas conseguimos fotografar com um céu limpo, um tempo agradável que se manteve até ao fim.

Fizemos a sessão no meio de Lisboa, entre o Chiado e o Terreiro do Paço. Por muito que inicialmente quisesse fazer em Sintra acho que não conseguiria pedir fotos tão perfeitas como as que temos. Primeiramente estava um bocadinho tensa. Normalmente sou eu que estou habituada a tirar fotos e selfies, mas neste caso, o Ricardo é que estava super à vontade e eu bastante tímida. Claro que rapidamente a timidez passou mas é sempre estranho quando não estamos habituados a fazer destas sessões e a ter alguém que está a captar toda a vossa essência. Mas felizmente tinha um fornecedor espetacular que nos colocou à vontade e o resultado está à vista.

Para quem pergunta, eu e o noivo não combinamos os outfits. Foi mesmo sem querer mas esta casualidade tornou as fotos ainda mais fantásticas. O calçado nestas sessões tem que ser super confortável. Nós andamos por Lisboa inteira a pé e não acredito que aguentasse fazê-lo de saltos por exemplo. Começamos a sessão por volta das 18h e terminamos as 20h30 para apanhar o pôr-do-sol.

PARTE 5 – “QUE CORAJOSA”

Foi o que me disseram quando partilhei com uma pessoa que me estava a prestar um serviço que me ia casar. Foi uma frase que não me caiu muito bem e admito que fiquei um bocado chateada com o comentário porque, apesar de felizmente não ter sido “alvo” de opiniões desagradáveis durante este ano que passou, sei que muitos noivos ouviram alguns e isso fez-me pensar que a palavra “casamento” tem sido um assunto tabu nos últimos tempos. Desde julgamentos, opiniões alheias, tudo e mais alguma coisa que entristece quem quer dar este passo tão importante na sua vida. Lembro-me do ano passado falar com uma noiva que foi chamada de irresponsável por diversas vezes, por amigas, e desde aí que percebi que realmente o COVID veio deixar muitas pessoas a pensar apenas no seu umbigo.

O meu caso não foi grave. Apenas me perguntaram se eu ia casar este ano e com a minha resposta positiva, a pessoa referiu que eu era corajosa ao mesmo tempo que expressava a sua opinião sobre casar em tempos de pandemia. Novamente repito aqui, neste Diário da Noiva, algo que sempre me ouviram dizer: Cada pessoa sabe o que é melhor para si. O que for certo para mim, pode não ser para a pessoa que está à nossa frente. Em momento algum sabemos a história de vida de alguém só a olhar para a pessoa.

E tu, já sofreste com as tuas decisões referentes ao casamento em pandemia, como falo neste Diário da Noiva ?

Assinatura Noiva em Quarentena

vê também estes posts

Deixa um comentário

* Ao utilizares este formulário, aceitas o envio e armazenagem dos teus dados por este site.