Diário da Noiva: Como (re)organizar um Casamento em pandemia

por Noiva em Quarentena
73 visualizações

Faltam três meses para o meu casamento (ainda nem acredito que estou realmente a dizer isto) e por isso, é o momento ideal para vos falar de partes da minha organização através do meu “Diário da Noiva“.

Mas vamos começar este post como realmente deve ser feito…

QUERIDO DIÁRIO:

2020 era um ano que prometia sonhos. Era acima de tudo o ano em que eu me iria casar e desde pequenina que era algo que idealizava.

A pandemia arrancou-me os sonhos mas por outro lado também considero que fez de mim alguém mais forte. Os primeiros meses do ano não foram fáceis. O mundo que eu conhecia desabou por completo em mais que uma maneira possível. Rapidamente aprendemos a viver de uma forma que nunca julgavamos possível – é o mal das pessoas, achar que não lhes irá acontecer mal nenhum.

Mas o que é certo é que houve tanta coisa que aprendi sobre mim mesma e apesar de ter adiado este dia tão sonhado, considero que o que passei me tornou uma “nova” pessoa. Numa outra altura conto-vos como consegui processar o adiamento do meu casamento mas posso dizer-vos por agora que foi com muito amor, carinho e compreensão dos que me rodeiam.

O DIA 13 DE JUNHO

Para mim, adiar o meu casamento foi um processo pelo qual passei por fases. Primeiramente percebi que iria ter que esperar mais um bocadinho pelo meu dia. A confirmação chegou no final de Abril e admito que quando recebi o email da quinta a referir que tínhamos que adiar o casamento me deu um aperto no coração. De possibilidade passou a realidade e nesse dia, foi algo difícil de digerir. No entanto, se vos posso contar uma característica sobre mim é que nas alturas mais complicadas não baixo os braços (se tal não fosse verdade, acredito que este blog não existisse). E nesse momento, liguei o meu botão de “controlo de estragos” e enviei um email a todos os meus convidados informando-os do adiamento. Curiosamente este email foi enviado no mesmo dia que o Save the Date, com um ano de diferença.

Entre o inicio de Maio e Junho, estava completanente descontraída com o facto de já não casar nesse ano. Mas foi no dia 13 de Junho, dia do meu casamento que eu apanhei um choque de realidade. Pensar que naquele dia eu poderia estar a caminho da quinta, com um vestido lindo de morrer fez-me ficar bastante triste como era expectável. Mas nem eu nem o meu noivo quisemos deixar passar o dia em branco e preparamos um pequeno “copo-de-água” em casa.

ALGUMAS DORES DE CABEÇA

Meus queridos leitores do “Diário da Noiva”, obviamente que permaneci sem pegar no que quer que fosse da minha organização durante algum tempo. No entanto sabia que havia coisas que tinham que ser feitas com antecedência. No meu caso, o alojamento onde iria ficar no dia anterior à cerimónia estava a dar-me dores de cabeça.

Não quero falar mal de nenhum fornecedor, mas na verdade, passei um mau bocado com a primeira residência que reservei. Era uma quinta linda, a funcionar como bed & breakfast, com um jardim maravilhoso e perfeito para fotos. Tinha uma piscina para o caso de querermos relaxar e era uma forma de eu e o noivo ficarmos perto mas longe ao mesmo tempo. Em termos de logística era maravilhoso porque ficava a cerca de 10 minutos da nossa quinta.

No entanto rapidamente percebi que a perfeição da localização não valia a dor de cabeça que estava a ter. Com emails enviados em Setembro de 2019, só em Outubro é que consegui ter uma reunião. Daí sai com promessas de resposta às minhas questões, algo que não aconteceu. Em 2020 fartei-me e aproveitei que o casamento não iria avançar para também procurar outro alojamento.

Felizmente consegui arranjar algo que desse para a minha família e para a do noivo no AirBNB. São duas casas pequenas, uma à frente da outra, situadas também numa quinta. A anfitriã é super simpática e prestável e portanto, espero realmente que desta vez dê tudo certo.

A PROVA DE PRATOS

Com a pandemia, uma das atividades agendadas pela quinta que foi cancelada foi a prova de pratos.

Na verdade nunca pensei que a pudesse fazer ainda em 2020, então quando recebi o email com a marcação da prova admito que não fiquei muito feliz. Em primeiro lugar porque estava de férias, longe da minha residência e também porque uma das minhas madrinhas de casamento fazia anos. Por muito que na altura me tenha custado sei que tomei a decisão certa em ir. O mundo tornou-se inconstante e tanto agora está bem como pode piorar de um momento para o outro. Acho que senão tivesse ido e depois não conseguisse realizar a prova, não me ia desculpar a mim mesma.

Então, juntamente com o meu noivo e as nossas mães fomos testar o menu do casamento. Não vos vou revelar neste diário da noiva o que decidi mas achei bastante engraçado que tenham incluído na nossa decisão o menu infantil e vegan, que é algo que qualquer estabelecimento deveria ter.

(RE)COMEÇAR

E de repente 2020 tinha passado e já estávamos em 2021. Posso novamente dizer que este é o ano do meu casamento. Mas ao contrário do que se passou no passado, agora sim posso dizer que irei casar porque tenho o otimismo e a confiança que vai tudo correr bem. Acima de qualquer festa está o amor que sinto pelo meu noivo e se tiver que casar sem convidados e fazer a celebração noutro ano, é o que farei.

Mas 2021 também me trouxe a coragem para voltar a pegar em toda a minha organização ( e o meu enorme dossier de casamento – já vos falei dele e prometo que vos mostro). Então pensei que já que começamos o ano a ficar em casa, eu iria aproveitar este tempo para organizar-me ao máximo. Como já partilhei muitas vezes convosco um trabalho organizado ajuda-nos e, no meu caso, diminui a ansiedade.

Então peguei no meu portátil e pus-me a enviar emails aos meus fornecedores e neste diário da noiva conto-vos tudo o que se passou:

Em primeiro lugar, a agência de viagens – descobri que estava tudo a correr bem para a minha tão ansiada lua-de-mel nas Maldivas, mas a Emirates teve que alterar um voo. Então em vez de ir após o casamento só vou viajar dias depois. Mas até lá estas mudanças não ficarão por aqui e pode voltar tudo ao dia inicial. Na verdade o que menos gosto é de ter que ficar 7h no aeroporto do Dubai durante a noite, a aguardar o voo para Lisboa. Vai ser a minha primeira viagem longa e nunca fiz uma escala na vida então não sei de todo o que me espera.

Ainda sobre a minha viagem, decidi que, para não correr nenhum risco em ficar longe do meu futuro marido durante o voo resolvi comprar os assentos de viagem. Não sei se seria uma possibilidade mas quero ter a certeza que vou junto a ele.

POR FAVOR, RESPONDAM-ME

Já partilhei também com algumas de vocês que um dos meus maiores problemas em organizar um casamento em confinamento é que muitos dos fornecedores não me respondem. Eu bem tento enviar emails mas está a tornar-se complicado chegar à fala com alguns deles.

Um dos fornecedores que não me respondia era das lembranças de casamento. Apesar de pensar que poderiam não ter acesso aos emails em casa, achei por bem enviar mensagem via Facebook e, na verdade, consegui ter feedback sobre a falta de resposta. Ao que consta, a pessoa com quem falava saiu da empresa e pediram-me para enviar novo email. No entanto, já estou a aguardar há uma semana e ainda não obtive resposta.

Também consegui dar inicio ao processo de impressão do restante estacionário de casamento e na verdade estou mortinha para o ver. Em breve prometo que vos dou informações.

Entretanto também confirmei com outros fornecedores se era necessário avançar com algo e aparentemente não preciso de me preocupar mais por agora. Portanto o meu próximo passo vai ser rever a lista de convidados e enviar os convites que faltam por correio. Eu sempre disse que mesmo que nao conseguisse ter toda a gente que os convites ia enviar todos porque foram as pessoas que eu escolhi para estarem presentes no meu casamento antes de sequer pensarmos no COVID-19.

AGENDAMENTO OK

Não poderia terminar este primeiro diário da Noiva sem falar no sucesso que foi o novo agendamento do casamento.

A meio de Dezembro do ano passado, achei que deveria enviar email à conservatória para remarcar o casamento. Assim o fiz e no inicio do ano, dias antes de entrarmos em confinamento (ufa!) consegui passar pelo registo civil para revalidar o processo já criado em 2020.

Após 2h de espera (já sabemos como estes serviços são), lá fui atendida. Só deixavam entrar uma pessoa de cada vez, então o meu noivo teve que aguardar no exterior. Aproveitei e questionei à senhora se me poderia dar um comprovativo do agendamento. A partir de agora quero ter tudo comprovado não vá o diabo tecê-las. No entanto, a funcionária não deve ter gostado muito da minha questão porque levou a mal. Quando voltei a falar com ela acho que até me tremeu a voz – elas são um pouco intimidantes nao acham?

No entanto, conseguimos agendamento para o dia 11 de Junho e como desistimos da conservatória ir à quinta, ainda nos vão devolver valor (o que é ótimo nesta altura).

O qua acharam deste meu primeiro “Diário da Noiva”?

Assinatura Noiva em Quarentena

vê também estes posts

Deixa um comentário

* Ao utilizares este formulário, aceitas o envio e armazenagem dos teus dados por este site.